No dia de Santa Cecília, Padre Joãozinho, scj reflete texto de Santo Agostinho sobre música

Um texto fantástico de Santo Agostinho para homenagear o dia do músico!

O dia 22 de novembro celebra o dia de Santa Cecília, Padroeira dos Músicos. Santa Cecília nasceu em Roma em meados do século III. A jovem costumava participar das missas do Papa Urbano I e era uma cristã bastante devota. No entanto, um dia, sem saber, foi prometida por seu pai para se casar com Valeriano, um homem pagão.

Diz a lenda que, na noite de núpcias, Cecília recusou-se a perder a virgindade e cantou para o esposo a beleza de manter a castidade.

O canto de Cecília convenceu Valeriano a manter a esposa virgem. Na verdade, o marido se emocionou tanto que decidiu se converter ao cristianismo e sair da vida pagã. Em seguida, o irmão de Valeriano, Tibúrcio se converteu ao cristianismo e ambos foram condenados à morte.

Veja também:
Padre Zezinho, scj fala sobre a postura do sacerdote ao celebrar a Missa

Mais tarde, Cecília se enfrentaria aos funcionários da corte romana e seria torturada a fim de renunciar sua fé. No entanto, quanto mais lhe submetiam aos sofrimentos, mais ela se mostrava mais disposta e cantava a Deus.

Ao fim de alguns dias foi decapitada. Sua festa se comemora desde o século V, mas somente em 1594, ela foi nomeada padroeira da música pelo papa Gregório XIII.

Para homenageá-la e para que os músicos reflitam a importância de honrar seus dons, Padre Joãozinho, scj faz uma reflexão a respeito de um texto escrito por Santo Agostinho, evidenciando o sermão do salmo 32 e das belezas de entoar um canto novo de louvores à Deus.

“Cantai para Ele com arte e com júbilo”

Confira ao vídeo:

Por Redação Catholicus
Compartilhe:

Faça um comentário