Há uma sintonia muito grande entre aquilo que vai sendo preparado para a JMJ e aquilo que também a Igreja vai vivendo

Em pouco mais de um mês terá início a contagem regressiva de um ano para a Jornada Mundial da Juventude 2016, em Cracóvia, na Polônia. O Padre João Chagas, responsável pela organização da Jornada no Pontifício Conselho para os Leigos (PCL) em entrevista, fala sobre os locais da vigília e missa final, sobre como os jovens que tem o desejo de participar devem se preparar, dos pedidos do Papa para a JMJ e da Porta Santa da Jornada.

 

 

É muito interessante perceber que os trabalhos de preparação daquele que está sendo chamado de “Campo da Misericórdia” já estão em fase adiantada. Estive lá no ano passado. O mato era alto e nos perguntávamos: vai dar para fazer aqui? Hoje, já vendo o terreno mais preparado, até conseguimos contemplar aquela multidão de jovens que em julho do ano que vem vai estar lá no Campus Misericordie em Cracóvia.

Preparação dos jovens

O primeiro de tudo é o desejo de participar. Às vezes, podemos desejar e dizer imediatamente: é impossível. Mas é característica dos jovens ao ouvir que algo é impossível, por isso mesmo, realizar. “Fui lá e fiz”. Os jovens gostam de desafios.  Eu acho que nenhum jovem que deseja participar da JMJ deveria desistir de antemão, porque não tem dinheiro. Deveria começar a pensar – e a rezar – e ver se não teria uma forma concreta, inteligente, de como levantar algum recurso para participar a Jornada. E, isso, fazendo em grupo, no grupo de oração, da paróquia, da comunidade. Juntos somos mais fortes. Como é que a gente pode se preparar juntos para participar da jornada, como grupo? Ou, se o grupo inteiro não conseguir ir, pelo menos para trabalhar mandar alguns representantes.

Pedidos do Papa

O presidente do nosso dicastério, o Cardeal Rylko, tem encontros periódicos com o Papa e ele vai atualizando Francisco. Por exemplo, acredito que neste período ele deve ter atualizado do desejo de viver também o Jubileu da misericórdia lá em Cracóvia. Como é prevista a peregrinação dos jovens que, a partir de algum ponto da cidade, se dirijirão até o santuário da Divina Misericórdia, esperamos que ali eles possam viver o Jubileu e usufruir de todas as graças que serão dispensadas neste ano.  Há uma sintonia muito grande entre aquilo que vai sendo preparado para a JMJ e aquilo que também a Igreja vai vivendo. Exemplo disso é o Ano Santo da Misericórdia, que foi anunciado depois da escolha do tema da Jornada de 2016. Isso mostra que há uma sintonia espiritual e de programação entre o que fazemos aqui no PCL com as propostas do Santo Padre.

Porta Santa da JMJ

Em Cracóvia, temos dois santuário juntos, de dois grandes apóstolos da misericórdia: de São João Paulo II, que está sendo construído, em grande parte pronto, ao lado do santuário da Divina Misericórdia.  É muito provável que ali haverá também uma grande Porta Santa, um grande portal, por onde os jovens poderão passar e realizar este ato simbólico.

 

 

Via Rádio Vaticano

Compartilhe:

Faça um comentário