Francisco está preocupado com o aumento do narcotráfico na Argentina

O papa Francisco disse temer que seu país natal, a Argentina, viva uma “mexicanização” diante do avanço do narcotráfico.

“Espero que estejamos em tempo de evitar a ‘mexicanização’.Conversei com alguns bispos mexicanos e a situação é de terror”, afirmou o Pontífice, em um e-mail ao seu amigo, ativista e parlamentar argentino Gustavo Vera.

Vera é líder da ONG “La Alameda”, que luta contra o tráfico de pessoas e o trabalho escravo. O e-mail de Francisco, que apoiou os trabalhos de Vera na época em que era arcebispo de Buenos Aires, foi enviado no último sábado (21). O texto foi uma resposta a uma mensagem anterior de Vera sobre “o crescimento sem pausa do narcotráfico” na Argentina. A ONG do parlamentar prevê denunciar novos casos de violência no país.

Atualmente, Vera também é candidato a chefe de Governo da cidade de Buenos Aires. Por sua vez, o governo do México anunciou que enviará uma nota diplomática para expressar sua “tristeza e preocupação” com as declarações do Papa.

O chanceler mexicano, José Antonio Meade, que se reuniu com representantes do Vaticano no país, destacou que “o desafio do narcotráfico é compartilhado e o México tem feito enormes esforços” contra isso. “Mais que tentar estigmatizar o México ou qualquer outra região da América Latina, devemos tentar melhorar os enfoques, os espaços de diálogo e o reconhecimento dos esforços que o México e a América Latina têm feito nesse tema”, disse o ministro das Relações Exteriores do país.

A Argentina vive nos últimos anos um aumento do narcotráfico, mas a situação ainda é distante da do México. No país sul-americano, o tráfico de drogas se dá principalmente na cidade de Rosario, a cerca de 300 quilômetros de Buenos Aires.

As estatísticas da violência dispararam no local, com uma média de uma morte por dia relacionada a grupos armados. O México, por sua parte, sofre com a guerra entre os carteis de droga e a infiltração de traficantes nas esferas do governo.

Por ANSA

Compartilhe:

Faça um comentário