Papa Francisco: “Onde Nossa Senhora é de casa, o diabo não entra”

Neste último domingo, 28 de janeiro, o Papa Francisco presidiu a Eucaristia na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma, por ocasião da festa da Trasladação da Sálus Pópuli Románi, o ícone de Nossa Senhora com o Menino Jesus no colo, em estilo bizantino, atribuído tradicionalmente ao Evangelista São Lucas, que era também pintor.

Leia também:
Conheça o Hino oficial do Terço das Mulheres cantado por Adriana Gil
Publicada Constituição Apostólica Veritatis Gaudium

“Sálus Pópuli Románi” significa, em latim, “Salvação do Povo Romano”, no sentido de “Protetora” e não de “Redentora”, evidentemente. Esse ícone guarda semelhanças tipológicas com o de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, sendo confundido com ele por muita gente, embora sejam ícones diferentes. É diante do ícone da Sálus Pópuli Románi que o Papa costuma rezar toda vez que parte e retorna de uma viagem internacional.

Em sua homilia neste domingo, o Papa Francisco fez afirmações poderosas sobre Nossa Senhora:

“A Mãe guarda a fé, protege as relações, salva nas intempéries e preserva do mal. Onde Nossa Senhora é de casa, o diabo não entra. Onde está a Mãe, a perturbação não prevalece, o medo não vence”.

Francisco refletiu sobre a oração mariana “Sob a vossa proteção” (“Sub tuum praesídium“). Ele convidou os fiéis a se aproximarem de Maria nas horas de perigo:

“Nos momentos turbulentos, precisamos nos recolher sob o manto da Santa Mãe de Deus, sempre aberto para nos acolher”.

E acrescentou:

“A Virgem Maria não demora, como ouvimos no Evangelho, onde ela leva imediatamente até Jesus a necessidade concreta daquelas pessoas: ‘Eles não têm mais vinho!’. Elas faz assim sempre que a invocamos: quando nos falta a esperança, quando escasseia a alegria, quando se esgotam as forças, quando a estrela da vida se esconde, a Mãe intervém.

Ela está atenta ao cansaço, sensível às turbulências, próxima do coração. E nunca, nunca despreza as nossas orações; não deixa que se perca nem uma sequer. É Mãe, nunca se envergonha de nós; ao contrário, só espera poder ajudar os seus filhos.

Quem, melhor do que ela, pode nos acompanhar no caminho?”.

Fonte: Aleteia

Compartilhe:

Faça um comentário