Papa visitará este Lar para enfermos de HIV e Aids na JMJ Panamá 2019
Foto: Lar ‘El Buen Samaritano’

Daqui a alguns dias, o Papa Francisco começará sua viagem apostólica ao Panamá, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2019, e como parte do programa fará uma visita aos pacientes com HIV e Aids do Lar para enfermos ‘El Buen Samaritano’ (O Bom Samaritano), no dia 26 de janeiro.

A visita acontecerá no período da tarde aos 15 pacientes e 25 voluntários (psiquiatras, médicos, professores, etc.) deste centro de acolhida que, à luz do Evangelho, fornece um acompanhamento integral e gratuito às pessoas carentes para que possam viver e enfrentar a sua condição.

Neste local, o Papa Francisco também rezará o Ângelus acompanhado pelos jovens do Hospício Malambo, do Centro São João Paulo II para o acompanhamento de dependentes químicos e de álcool, do Lar São José, pertencente às Irmãs da Caridade, e da congregação Kkottongna, dedicada à acolhida de indigentes.

O administrador do Lar ‘El Buen Samaritano’, Erick Rodríguez, disse em uma entrevista ao Grupo ACI, que receberam a notícia da visita “com grande alegria e surpresa”, porque consideram que ainda são “uma obra muito pequena”.

Veja também:
JMJ Panamá: jovens saem da Polônia e da França de barco para conhecer o Papa
Comunidade Jesus Menino levará testemunho pró-vida à JMJ Panamá 2019

“O fato de o Santo Padre ter olhado para a nossa fundação nos faz clamar como Isabel: ‘Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe do meu Senhor?’. Quem somos nós para que o Sucessor de Pedro venha nos visitar?”.

Do mesmo modo, ressaltou que o trabalho no Lar de enfermos é muito difícil devido à “discriminação” e ao “estigma” social.

“A visita do Papa nos dá um reconhecimento, diz-nos que estamos no caminho certo e também faz justiça às pessoas que se encontram nas periferias existenciais e que são marginalizadas até mesmo por sua própria família”, acrescentou Rodríguez.

O Lar ‘El Buen Samaritano’ foi inaugurado em 15 de fevereiro de 2004. Nasceu como um trabalho pastoral da Paróquia Santa Maria do Caminho, que fica no distrito de Panamá, acolhendo pessoas com HIV e Aids e oferecendo orientação espiritual e alimentação.

O lar tem atualmente três programas diferenciados.

No primeiro estão os chamados “residentes”, que são pessoas abandonadas por suas famílias que recebem o necessário para levar uma vida digna nas instalações.

No segundo programa, estão os “externos”, ou seja, as pessoas de baixa renda que vivem com HIV e Aids, mas moram com as suas famílias e são ajudados com alimentos, medicamentos, palestras de formação, etc.

Finalmente, o terceiro programa, “Jovem informe-se e seja responsável”, busca promover a educação sexual com valores para estudantes do ensino médio e prevenir o HIV.

Entre o grupo de moradores está Raúl Miranda, um paciente com HIV que considera a visita do Pontífice “uma bênção”.

“Foi uma surpresa e uma bênção o Papa ter escolhido um lugar como este que muitas vezes as pessoas não querem visitar. O Papa nos envia uma mensagem positiva, para sermos unidos apesar das vicissitudes”, disse.

“Todas as manhãs rezamos pelo Papa, pela sua saúde e nos sentimos abençoados. Sem Deus nós não somos nada, eu não sou ninguém. Através desta doença, eu me aproximei a Deus, fui batizado e crismado. Quando fiquei doente, com medo da morte, pedi perdão e Deus me acolheu com sua misericórdia e me deu uma segunda chance”, assegurou.

Raúl espera que depois da visita, mais jovens “abram os olhos e saibam que a felicidade não vem das coisas materiais, mas do espiritual”, e que aprendam a não discriminar “os portadores de HIV”.

Por sua parte, Erick Rodríguez espera que em um futuro próximo “as pessoas discriminem menos” e se viva melhor o cristianismo.

Além disso, anunciou que o diretor da obra, Padre Domingo Escobar, está preparando todo o mobiliário para o Ângelus no local e está incentivando os moradores a participarem de jornadas de oração.

“Os pacientes participaram do dia de oração pela JMJ, de Horas Santas, catequeses, Missas, porque a luta atual é espiritual e é aí onde buscamos a força para enfrentar as dificuldades”, acrescentou Rodríguez.

Fonte: ACI Digital

Faça um comentário