Toda mulher sabe o quão desconfortável é utilizar um número menor do que o seu, mas antigamente, na China, as mulheres eram obrigadas a utilizar um sapato muito menor do que o tamanho do pé.

Os pés de meninas eram reduzidos para ter no máximo 10cm de comprimento e, para isso, seus pés eram rigorosamente acoplados a pequenos sapatos que visavam restringir o crescimento o máximo possível.

O motivo? No passado, quanto menor o pé da mulher, maior era a sua sensualidade e, portanto, mais homens se interessariam por elas.

Essa tradição teve origem na China Imperial entre os séculos X e XI, e era uma prática comum entre as mulheres mais ricas.

Eventualmente, a tradição dos “pés-de-lótus” se espalhou por todo o império, e séculos mais tarde até mesmo as famílias mais pobres praticavam a tradição, então praticamente obrigatória para as mulheres terem um marido.

Quem não tinha um pé encolhido, geralmente ficava solteira toda a vida.

O procedimento, é claro, era torturante, e começava ainda na infância. Aos 3 anos, os dedos das meninas eram fraturados e os pés firmemente amarrados com tiras de linho para impedir o crescimento e cicatrizar as fraturas naquela posição.

Os dedos quebrados eram dobrados em direção a sola do pé, criando um formato côncavo.

Obviamente, as meninas passavam a ter muita dificuldade para caminhar, tendo quedas frequentes.

Por isso, elas permaneciam sentadas durante a maior parte do tempo, e precisavam da ajuda de outras pessoas para se levantar.

Viver assim desde a infância eventualmente deformava os ossos do quadril e coluna, aumentando também riscos de fraturas do fêmur.

O governo chinês baniu a prática em meados do século XX, mas a prática continuou em segredo por vários anos, até ser totalmente abolida.

Hoje, no entanto, é possível encontrar algumas senhoras idosas que exibem orgulhosamente seus pés deformados.

Veja as fotos:

Fonte: Mistérios do Mundo
Compartilhe:

Faça um comentário