Presidente da CNBB em visita a Brumadinho: Precisamos de ações efetivas de prevenção
Foto: Divulgação

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Cardeal Sérgio da Rocha, visitou na terça-feira, 12 de fevereiro, os familiares das vítimas do rompimento da barragem de Brumadinho e assinalou que, além das “ações imediatas de solidariedade”, são também necessárias “ações efetivas de prevenção”.

“Eu estou aqui para favorecer a participação da CNBB em ações de solidariedade, superação e prevenção de tragédias semelhantes a esta”, disse o Purpurado durante o encontro ocorrido na Igreja Matriz de São Sebastião.

O encontro reuniu voluntários, vítimas, pessoas que perderam familiares e amigos no rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em 25 de janeiro.

Conforme informa o site da CNBB, o também Arcebispo de Brasília lamentou que “as lições da tragédia de Mariana não foram devidamente aprendidas”, referindo-se ao rompimento da barragem de rejeitos Fundão, em novembro de 2015.

Veja também:
Por que devemos fazer o sinal da cruz?
Unção dos enfermos é só para quem está a ponto de morrer?

O Arcebispo alertou para o risco de as autoridades, com o passar do tempo, se esquecerem desta realidade. “Agora temos esta situação que nos desafia não apenas para ações imediatas de solidariedade, muito necessárias, mas precisamos também de ações efetivas de prevenção para que não ocorra mais a destruição da casa comum e, sobretudo, da família que habita esta casa comum”, declarou.

“A Igreja no Brasil está disposta a trabalhar junto não apenas para consolar aqueles que agora estão sofrendo, com as famílias enlutadas, mas também para criar melhores condições para nosso povo”, acrescentou.

Por sua vez, o Vigário para a Ação Missionária no Vale do Paraopeba e pároco da Paróquia São Sebastião de Brumadinho, Padre Renê Lopes, explicou que a Igreja tem estado presente em cada lar de vítimas da tragédia.

“Vivenciamos, assim, o que nos pede o Papa Francisco: sermos Igreja em saída”, assinalou.

Em seguida, o sacerdote convidou a família de uma das vítimas, o jovem Gustavo Xavier, para falar em nome de cada pessoa que enfrenta o luto. “Meu filho era amigo, carinhoso. A dor por perdê-lo é muito grande. A ganância do ser humano fez isso com a gente”, expressou o pai do rapaz, Mário Antônio Xavier.

Proximidade do Papa Francisco

Pe. Renê Lopes também entregou ao Cardeal Sérgio da Rocha um colete usado pelos voluntários, que tem a expressão “Juntos por Brumadinho”. O Purpurado, que viajará ao Vaticano na próxima semana, informou que entregará este colete ao Papa Francisco, como símbolo da luta das famílias de Brumadinho.

O presidente da CNBB também recordou que, quando soube da tragédia ocorrida em Minas Gerais, o Pontífice manifestou sobre solidariedade aos atingidos. “Trago aqui o afeto, a oração e a solidariedade do Papa Francisco”, disse o Arcebispo aos presentes.

No dia 27 de dezembro, após a oração do Ângelus no Panamá, o Papa Francisco manifestou seus “sentimentos de pesar” pela tragédia de Brumadinho.

“Confio à misericórdia de Deus todas as pessoas falecidas. Ao mesmo tempo, rezo pelos feridos e expresso meu afeto e proximidade espiritual a seus familiares e a toda a população”, disse.

Fonte: ACI Digital

Faça um comentário