Hoje, mais do que nunca, é extremamente importante a presença de toda a Igreja, incluindo religiosos e leigos, nas chamadas redes sociais colaborativas.

Saiba como funciona uma rede social colaborativa

Antes de continuar o nosso assunto principal, que é a presença da Igreja nestes meios, vamos ter um breve entendimento do que é uma rede social colaborativa.

Dentre estas ferramentas de maior popularidade e reconhecimento, vamos falar sobre o Facebook.

Assine a Revista Paróquias e receba em casa material sobre Gestão Eclesial
Conheça o CONASPAR – Congresso Nacional de Secretários Paroquiais

Explicando

Uma rede social colaborativa é um espaço onde as pessoas podem contribuir com seus conhecimentos, formar novos amigos, encontrar aliados para seus ideais, adquirir conhecimentos e muitas outras realidades que seria difícil realizar, principalmente, por falta de tempo e distância geográfica entre os seus contatos.

As ferramentas sociais colaborativas ganharam espaço mundial justamente por essa razão, pois o foco não está na tecnologia, mas na possibilidade que ela dá às pessoas de se comunicarem. Esse ponto é a base para que nós, como Igreja – religiosos e leigos – possamos entender que a evangelização, a divulgação dos nossos projetos e ações pastorais aconteçam de forma eficaz.

Este é o primeiro ponto, pois quando assumirmos esta verdade entre as nossas comunidades e pastorais, cresceremos muito no aspecto da divulgação de todo projeto, pois, nesse meio, não precisamos gastar um centavo, basta apenas o desejo de querer e a divulgação acontecerá. Com isso, em poucos cliques, o seu trabalho que antes era apresentado apenas na comunidade local, ganhará o mundo.

Isso possibilitará a colaboração de duas vias, pois, de um lado você apresenta um projeto, uma ação pastoral ou uma campanha; e, de outro, encontra pessoas que precisam desse conteúdo e ainda podem contribuir para que seu projeto chegue a cantos que jamais por você alcançaria.

Lembre-se

Na época de Jesus, não havia nenhum meio tecnológico e apenas com 12 discípulos, Ele mudou o mundo. Já imaginou esses 12, cada um com um computador na internet, quanto conteúdo estaria disponível, comunicando todas as ações e feitos do Mestre Jesus?

Acredito que em uma linguagem simples e voltada para a Igreja, você conseguiu entender um pouco o que é uma rede social.

Leia também:
O sacerdote e a evangelização por meio da internet
A importância de empregar as novas linguagens junto à Pastoral da Comunicação

6 passos para criar sua conta no Facebook

1º. Acesse o site: http://www.facebook.com;

2º. Faça o cadastro, crie sua conta no Facebook. Será enviada uma mensagem no seu e-mail pedindo a confirmação para ativar a sua conta;

3º. Acesse a sua conta, personalize-a colocados fotos, descrição do seu trabalho pastoral, cidade, etc. Enfim, todos os dados que você achar necessário para que outros usuários possam saber qual é o seu objetivo dentro da rede do Facebook;

4º. Adicione contatos: expanda sua rede de amigos dentro do Facebook, pesquise, faça novas amizades e adicione também aqueles amigos da lista de e-mails;

5º. Por fim, comece a realizar os seus projetos, escreva seus artigos, comunique os eventos, reuniões, disponibilize vídeos, fotos, links, etc;

6º. Crie grupos para reunir pessoas com ideias comuns.

Paulo Moraes é Analista de Novas Tecnologias, Professor, Palestrante, Consultor em aplicações Web, Personal Training Computer, Podcaster e Blogueiro.

Contato: [email protected]

Fonte: Revista Paróquias, ed. 19. Para ler mais matérias sobre gestão eclesial e secretaria paroquial, assine já: (12) 3311-0665 ou [email protected]

Faça um comentário