A unidade de engenharia do exército do Egito terminou a restauração da Catedral Copta de São Marcos, no Cairo, onde aconteceu em dezembro do ano passado um atentado terrorista perpetrado por membros do Estado Islâmico com um carro bomba e que deixou 27 mortos.

Em um comunicado em sua página de Facebook, o exército egípcio informou que as partes danificadas da Igreja pelo atentado foram reparadas prontamente por ordem direta do presidente Abdel Fattah Sisi, para que os cristãos coptos pudessem celebrar a festa do Natal no local.

Os cristãos coptos – que representam 10% da população do Egito e têm limitações para expressa sua fé – celebram o Natal em 7 de janeiro. Este ano, a Missa da véspera será celebrada na noite do dia 6.

A Catedral Copta de São Marcos, localizada no bairro de Al Abasiya, sofreu danos por um carro que tinha entre 6 e 12 quilos de dinamites. O alvo do atentado foi a capela de São Pedro e São Paulo, anexa à catedral, porque naquele momento estava sendo celebrada a Eucaristia naquele local.

Este atentado foi realizado dois dias depois da explosão de uma bomba em uma região próxima às Pirâmides de Gizé que matou 6 policiais e foi perpetrada pelo grupo autodenominado Movimento dos Braços de Egito-Hasm.

O ataque à Catedral Copta de São Marcos é considerado o mais letal contra civis no Egito nos últimos anos. A maioria dos mortos e feridos eram mulheres e crianças. Uma delas foi Maggie Mo’men, uma menina de 10 anos que faleceu em um hospital por causa das lesões causadas pela explosão.

Este templo é a sede da Igreja Copta do Egito e é a Catedral do Papa Copto Tawadros II, Papa de Alexandria e Patriarca da Igreja Copta Ortodoxa. Entre o Papa Francisco e o Papa Tawadros II há uma estreita relação espiritual.

O Papa Francisco condenou o atentado de dezembro e indicou que ante a violência “só há uma resposta possível: fé em Deus e unidade nos valores humanos e civis”.

Fonte: ACI

Compartilhe:

Faça um comentário