Quando seu filho começa a entrar na adolescência, uma série de mudanças podem ocorrer.

E o que eles mais precisam é de compreensão e amor.

Segundo o estatuto da criança e do adolescente, a criança que atinge os 12 anos de idade deixa de ser criança e passa a ser adolescente. Pais concordarão comigo que na vida real essa passagem pode acontecer antes ou depois do prazo estipulado pela lei.

O melhor sempre é observar as ações da criança, suas mudanças comportamentais e físicas, seu jeito de falar e interesses, sua voz, pele e alterações corporais. Também não ocorrem todas ao mesmo tempo e podem demorar meses para as alterações realmente se concretizarem. Ou pode ser da noite para o dia. O ser humano é surpreendentemente individual e nem sempre o que ocorre com um poderá acontecer com o outro, mesmo sendo irmãos gêmeos.

Crianças deixam esta fase infantil aos poucos, de vez em quando ainda têm atitudes infantis, mescladas com atitudes típicas da adolescência. Esta passagem é gradual e costuma ser chamada de pré-adolescência ou adolescência inicial, podendo durar por volta de 4 anos, começando em torno dos 10 anos nas meninas e mais tarde nos meninos.

Algumas dicas que os pais podem perceber que mostram que seus filhos estão se tornando adolescentes:

Pedir roupas ou sapatos de presente ao invés de brinquedos
Se alguém perguntar se prefere dinheiro ou presente, ele escolher o dinheiro
Não querer assistir mais a canais infantis
Adorar os programas teen na TV, cinema e os livros desta faixa etária
Passar o dia conversando no celular por mensagem
Trocar de roupas várias vezes até achar um visual que agrade
Crescer muito rápido
Encrencar toda hora com os irmãos, primos e principalmente com colegas do sexo oposto
Deixar as brincadeiras de lado e preferir ficar no celular, TV ou computador
Ter preguiça para fazer tudo, inclusive a lição de casa
Olhar-se no espelho várias vezes, observando sua pele, cabelo, sobrancelhas, cílios ou estrutura corporal
Pedir para sair sozinho com os amigos
Reparar e comentar sobre o que os colegas têm e vestem
Evitar conversar, abraçar ou outras demonstrações de carinho com os pais e outros parentes, principalmente em público
Fazer de conta que não ouve os pais
Ouvir música constantemente
Retrucar mais frequentemente, por qualquer coisa que lhe é pedida
Os amigos começarem a se tornar mais importantes que a família
Deixar de usar alguns itens por achar infantis, como o estojo escolar, por exemplo
Estar frequentemente, para não dizer constantemente, de mau humor
Se incomodar por coisas pequenas, como uma caneta deixada fora do lugar, e reclamar abertamente
Dormir muito mais do que antes

Por ser uma fase transitória, a ansiedade do que se tornarão e a dúvida se isso os agradará os torna meio rabugentos.

Muitas mudanças não são permanentes, afinal com tudo o que eles estão passando, experimentar um pouco de cada comportamento é válido para formar o adulto que serão. Tudo isso é necessário para seu desenvolvimento. Resta aos pais e responsáveis muita paciência neste período.

Apesar de parecer que eles não querem ser amados, deles darem mais atenção aos amigos e de isso causar dúvidas negativas aos pais quanto ao seu amor, é importante ter em mente que isso passará e que o amor de filho retorna no final da adolescência. Na verdade, o amor continuará com eles o tempo todo, mas para não pagar mico eles o guardarão para uma ocasião posterior.

Tendo em mente que tudo isso é uma fase e que os gritos, preguiça e outras manifestações negativas passarão, fica mais fácil entender e ajudar o filho a passar por esta fase difícil e cheia de imprevistos.

Fonte: Familia.com

Compartilhe:

Faça um comentário