Mais um “fim do mundo”

No último dia 9 de julho, um vídeo publicado no YouTube garantiu que, “com certeza”, o mundo vai acabar hoje, 29 de julho de 2016, devido à inversão dos polos da Terra. O fenômeno causaria uma mudança de temperatura tão drástica que o planeta ficaria inabitável para a espécie humana, provocando a sua extinção.

O vídeo de “alerta”, veiculado por uma organização chamada End Times Prophecies, conseguiu mais de 4 milhões de visualizações e milhares de comentários, ilustrando graficamente eventos catastróficos como inundações repentinas. Sem provas científicas, o material se apoia em citações bíblicas tiradas de contexto e afirma, por exemplo, que “no dia em que Jesus voltar acontecerá a inversão dos polos e a Terra vai rachar”.

Trata-se da enésima previsão (furada) do fim dos tempos – e, por incrível que pareça, elas sempre conseguem gerar alguma comoção (ou pelo menos uma boa audiência para certos vídeos…) Uma das mais barulhentas dos anos recentes foi a famosa “profecia maia”, que, segundo a interpretação popular, determinava que o mundo teria acabado em 2012.

No tocante à nova versão do fim do mundo programado para hoje, a Nasa publicou em seu site, nesta quinta-feira, um artigo em que afasta qualquer possibilidade de que a mudança do polo magnético da Terra cause a destruição do planeta. “Os registros fósseis não mostram nenhuma mudança dramática na vida de animais e plantas da época da última inversão”, observa o texto.

De fato, a inversão de polos não é exceção, mas sim regra, e já ocorreu diversas vezes desde que existe a vida na Terra. A última vez em que o evento aconteceu foi há cerca de 800 mil anos: se alguém usasse uma bússola antes disso, o ponteiro não apontaria para o norte, e sim para o sul. No caso da mudança atual, a Nasa afirma que o campo magnético do planeta pode até enfraquecer durante o processo de inversão (que pode durar milhares de anos), mas não vai “sumir” porque é fruto do movimento incessante do núcleo da Terra.

Santa Marta

Além de mais este pitoresco “dia do fim do mundo”, 29 de julho de 2016 é também, e isto sim é verdade e se repete todo ano, o dia litúrgico de Santa Marta de Betânia, irmã de Maria e de Lázaro, grandes amigos de Jesus. Lázaro, aliás, é o homem a quem Jesus ressuscitou quatro dias após ele ter morrido.

Foi à santa de hoje que o próprio Cristo disse: “Marta, Marta, tu te inquietas e te preocupas com tantas coisas, quando só uma basta. Tua irmã Maria escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada“.

Ele se referia ao comportamento agitado de Marta, que estava preocupada em receber e servir muito bem a Jesus, enquanto sua irmã aproveitava a visita para estar serenamente ao lado do Mestre. Na espiritualidade da Igreja, o episódio costuma ilustrar a necessidade de equilibrar com harmonia a vida ativa e a vida contemplativa, priorizando a quietude de espírito e a consciência da presença de Deus em meio às agitações do cotidiano.

Marta, sempre fiel a Jesus, foi uma das mulheres que acompanharam de perto a Sua Paixão, Morte e Ressurreição, com grande firmeza e coragem. O nome da irmã de Lázaro e Maria vem do aramaico e significa “mestra” ou “senhora”.

A partir da eleição do Papa Francisco, tornou-se mundialmente conhecida a Casa Santa Marta, que serve como hospedaria no Vaticano para bispos e sacerdotes em visita à Santa Sé. É lá que reside, atualmente, o próprio Santo Padre: Francisco preferiu as suas modestas instalações para ficar mais próximo das pessoas no dia a dia. Na capela da Casa Santa Marta, o Papa Francisco costuma celebrar diariamente a Santa Missa nos dias ordinários em que está no Vaticano.

Que data você prefere?

Entre (mais) um fim do mundo agitado e a lição de serenidade que Jesus nos oferece através de Santa Marta, nós preferimos Santa Marta – e é por isso que não vamos nos inquietar nem nos preocupar com tantas coisas, quando só uma basta: estar perto de Deus!

Santa Marta, rogai por nós!

Fonte: Aleteia

Compartilhe:

Faça um comentário