São Patrício expulsou mesmo todas as cobras da Irlanda?
Foto: Nheyob | CC BY SA 4.0

Irlanda é um país 100% livre de cobras. Isso mesmo: simplesmente não existem cobras naquela ilha.

E uma famosa lenda sobre a vida de São Patrício relata que foi ele quem baniu todas as cobras da Irlanda após rezar no topo da montanha Croagh Patrick durante os 40 dias da Quaresma.

Veja também:
Anna ia abortar. Mas desistiu depois que recebeu esse telefonema do Papa
A Eucaristia e o seu caráter universal, um tesouro inestimável!

Fato ou ficção?

Que não existem cobras por lá, é fato. Já quanto ao motivo disso, há controvérsias. Em entrevista à National Geographic, Nigel Monaghan, do Museu Nacional da Irlanda, em Dublin, declarou:

“Em nenhum momento houve indícios da existência de cobras na Irlanda. Não havia nada para São Patrício expulsar”.

A maioria dos pesquisadores, de fato, sustenta que as serpentes nunca chegaram à ilha, nem depois, nem antes de São Patrício. Mas então de onde veio essa lenda sobre a expulsão ordenada pelo santo padroeiro do país?

Imagem simbólica?

A teoria mais comum é que o relato da expulsão das cobras simbolizava, na realidade, a expulsão do paganismo da Irlanda.

Os antigos druidas locais, de acordo com alguns historiadores, mantinham crenças e ritos de magia nos quais se cultuavam serpentes.

Acontece que, no cristianismo, a serpente é geralmente associada a Satanás, descrito no Gênesis como uma criatura que se apresentou a Eva e Adão sob essa aparência. No Apocalipse, de modo semelhante, Satanás é representado por um dragão feroz que ameaça os cristãos.

Não é surpreendente, assim, que os cristãos aplicassem a São Patrício a figura simbólica do “expulsador de serpentes” na guerra espiritual contra a presença demoníaca na ilha.

Essa interpretação condiz com o papel de protetor atribuído ao santo missionário, a quem é dedicada uma famosa e poderosa oração contra os poderes da escuridão: confira aqui a Oração de São Patrício contra feitiços e malefícios.

O que ainda fica no ar, porém, é o debate sobre as cobras na Irlanda: se elas não existiam por lá nem mesmo antes de São Patrício, como é que se explica o culto druida à serpente?

Seja qual for a verdade, é fato que São Patrício foi decisivo para o florescimento da fé cristã na Irlanda, país que deu à Igreja um incontável número de homens e mulheres consagrados que, na própria pátria ou como missionários pelo mundo inteiro, levaram a Boa Nova de Jesus a milhões e milhões de almas.

Fonte: Aleteia
Compartilhe:

Faça um comentário