IZA modo de vestir

Diz a etiqueta digital que textos com letras maiúsculas correspondem a gritos. IZA é assim: um berro, um brado, um barulho estridente de quem chegou chegando. Voz potente, personalidade marcante, visual excêntrico e sensualíssimo, a carioca Isabela Lima, de 26 anos, tem plena consciência de sua força. E gosta disso. Em suas redes sociais, virou referência de beleza, enfatizada em comentários como “Perfeita!”, “Rainha!”, “Diva!”…

Leia também:
Site que investiga boatos conclui: “grávida” do Pe. Manzotti sequer existe
Igreja Universal processa quem a acusou de traficar de crianças

— Acho o máximo, me divirto com o que leio! Mas as fotos são mais uma autoafirmação para mim, de me olhar com carinho e dizer: “Como estou bonita aqui!”, “Como eu estava me sentindo incrível nesse dia!”. Quando eu era mais nova, odiava tirar foto. Eu não sabia, saía “uó” em todas. Quando me resolvi comigo mesma, despertou essa vontade de mostrar ao mundo como estou bem — conta IZA, mulher de discurso empoderado:

— Não publico porque eu queira aparecer. Eu faço porque quero, porque sou dona do meu corpo e ninguém paga as minhas contas! (risos)

Nascida e criada em Olaria, na Zona Norte do Rio, a cantora conta que, desde muito novinha, destacava-se entre as meninas do bairro por seu estilo diferente, sendo alvo constante de elogios.

— Andava superarrumada, toda vaidosa. Sempre gostei de misturar peças: pegava roupas da minha mãe e adaptava, usava camisões do meu pai como vestidos. E assim fui marcando a minha identidade. Só que eu tinha tantos nós, tanta insegurança, que quando alguém insistia em falar da minha beleza, eu evitava a pessoa, achava que ela estava de deboche. Eu não absorvia, não acreditava que era verdade — relembra ela, que só depois dos 20 anos passou a se olhar no espelho com confiança:

— Importa frisar que não interessa se os outros te acham ou não bonita, é você quem tem que se achar. Hoje, os dias de mal comigo ficaram raros. Geralmente, são aqueles em que estou de TPM, mais inchada, sem paciência. Na maioria das vezes, me acho ma-ra-vi-lho-sa!

Cantora consagra-se como fenômeno do hipo hop

Maiôs e biquínis cavados, no estilo asa-delta; bodies; decotes profundos; transparências; tops cropped; macacões entrecortados; brilhos… Tudo isso compõe o estilo da nova diva brasileira do pop e do R&B. As produções são idealizadas pela artista em conjunto com sua personal stylist, Bianca Jahara. Quem pensou na ex-“BBB8” acertou, trata-se dela mesma.

— A gente se entendeu superbem logo de cara. Ela é minha parceira, minha amiga, uma parte chave da minha carreira. Bianca entende o meu corpo, faz uma curadoria legal nas roupas, sempre me traz peças novas. Ela entra em contato com estilistas e explica o meu estilo. Muitas vezes, eles desenvolvem looks exclusivos para mim. E tem coisas que a gente desenha junto e ela leva para a costureira aprontar — detalha IZA.

Dona de um corpão escultural, com quadril e ombros largos e cintura fina, a cantora ressalta o que tem de mais bonito ao se produzir. Sempre com conforto:

— O asa-delta foi um achado para me deixar mais segura com o meu corpo, orgulhosa de mostrar o meu quadril. Hit nos anos 80, ela voltou a ser usada por celebridades lá de fora, e eu adotei porque acho que combina comigo, me deixa sensual. Já as roupas entrecortadas substituem as estampas, que raramente uso. Os desenhos que esses recortes fazem dão um visual bonito. Também adoro peças esvoaçantes, elegantes. Meu estilo é urbano, sexy, tem roupas largas e fluidas e tem bodies apertadinhos. Acho que eu não encaixo num só rótulo.

Branco, preto, vermelho e amarelo são as cores predominantes no closet da moça, mais apaixonada por calçados do que por qualquer outra coisa, confessa:

— Sou enlouquecida por sapatos, acho até que preciso de ajuda (risos). Não tenho nem ideia de quantos pares tenho, me proíbo de contar para não me sentir culpada… Mais de cem, com certeza!

O humor, segundo IZA, é determinante na hora de definir o look do dia.

— É muito raro, mas tem vezes em que uso calça jeans e uma blusinha de algodão. É quando não estou nem aí pra ninguém, pego a primeira peça que vejo no armário e saio. Não vou à padaria de body, né? Tem coisas que eu uso especificamente em shows; outras, em programas de TV. Mas no meu dia a dia adoro vestido longo com rasteirinha, macacão com tênis… Só calço saltão no palco mesmo — explica a musa, surpreendendo ao ser questionada se sua roupa de dormir favorita é o baby-doll sexy ou o camisetão velho e largo:

— Na cama, eu geralmente não uso nada (risos). Um edredom por cima está de bom tamanho. Detesto camisola! Quando mais nova, isso era um problema. Tinha que comprar pijama para poder ir dormir na casa das amigas.

Quem admira esse jeito naturalmente sexy de ser da moça pode não imaginar que ela, simultaneamente, professa uma religiosidade ardorosa.

— Cresci na Igreja Católica, onde a música começou a ficar mais séria na minha vida (aos 14 anos, ela começou a fazer shows em retiros e paróquias). Sempre digo que minha carreira é um milagre e que meu empresário é Deus. Antes de tomar qualquer decisão, rezo e pergunto a Ele. Ir a missas me faz bem; quando não consigo, sinto falta. Mas minha religiosidade não pode interferir no meu modo de me vestir. Nunca feri ninguém com o fato de ser sensual. Sou dona do meu corpo, não desrespeito a minha religião — afirma, categórica.

À meia-noite, quando os sinos badalaram relembrando o nascimento de Jesus, IZA esteve entre os seus.

— Meu Natal é em casa, não trabalho. É uma festa importante para reunir a família inteira, coisa que a gente não consegue fazer no restante do ano. Se eu fosse pedir um presente a Papai Noel, seria uma folga por semana — conta ela, aos risos, revelando seus dotes culinários:

— Adoro cozinhar para a ceia! O arroz e a farofa são por minha conta.

Dia 30, a cantora fez o Pré-Réveillon POPline no Sacadura 154, na Saúde, no Rio. E na virada para 2018 ela cantou em São Luís (MA), pela primeira vez:

— Este ano me surpreendeu muito. Em seis meses, eu me apresentei no Prêmio Multishow, abri show pro Coldplay, cantei com o CeeLo Green no Rock in Rio… Muita coisa grande! Espero que 2018 seja melhor ainda. Vou participar do Bloco da Favorita como musa e de outros trios no carnaval, depois lanço meu primeiro CD… O ano já vai começar animado! Estou malhando para ganhar fôlego para o que ainda está por vir — comemora ela, que não confirma ser o nome a substituir Anitta à frente do “Música boa ao vivo”, no Multishow: — Essa hipótese foi ventilada, mas não tem nada acertado. Não passa de especulação, por enquanto.

Bumbum de IZA ganha destaque na web

Fonte: Extra

Faça um comentário