uso de leite para restaurar construções históricas
GRUPO DE LAOCOONTE, ESCULTURA EXPOSTA NO MUSEU DO VATICANO (FOTO: DAN KITWOOD/GETTY IMAGES)

Com o enfoque voltado para a sustentabilidade, conforme pediu o papa Francisco, o Vaticano está desenvolvendo novas técnicas para restaurar obras e prédios históricos pertencentes à Igreja. Uma delas, revelada neste fim de semana pela emissora “CNN”, é o uso de leite – vindo das vacas criadas na residência de verão vaticana em Castel Gandolfo.

Segundo o chefe de arquitetura do Vaticano, Vitale Zanchettin, a técnica com leite é antiga e está se mostrando mais eficiente e duradoura do que o uso de tintas sintéticas. De acordo com a entrevista de Zanchettin, a técnica remonta aos anos 1500 e usa uma mistura de leite, cal hidratada e pigmentos naturais para dar cor.

Leia também:
Arte e simbolismo no espaço litúrgico
Maior igreja católica da América do Norte está pronta após um século

Além disso, a Santa Sé está estudando “técnicas não invasivas” para o meio-ambiente na questão do restauro de suas centenas de obras, estátuas e construções seculares. Um dos projetos liderados pelos especialistas da Igreja Católica é a criação de óleos essenciais com produtos naturais para proteger os monumentos da ação do tempo.

De acordo com a “CNN”, o Vaticano mantém um grupo permanente de 100 especialistas para as restaurações e prefere usar a ação humana aos computadores e equipamentos que tornariam o trabalho mais rápido.

Fonte: Época Negócios

Faça um comentário