Veja 16 lindas representações de Maria na arte

Um belíssimo arranjo de eternas imagens – clássicas e modernas – para honrar a Virgem Maria

No mundo inteiro os cristãos louvam e recordam a Virgem Maria rezando terços e rosários. Apresentamos 16 representações belíssimas – clássicas e modernas – que nos lembram o grandioso significado de Maria.

Virgem Maria, por El Greco

El Greco pinta Maria aqui de uma forma que permite sua alma brilhar a partir da imagem. A coloração é sutil, mas luminosa, e, embora Maria pareça apreensiva, ela também está radiante.

Anunciação a Virgem Maria, por Fra Angelico

Maria – pintada aqui por Fra Angelico, monge do século 15 – é frequentemente retratada segurando uma Bíblia. De certa forma, ao estudar as Escrituras, Maria conhecia e amava seu filho antes que ele fosse concebido.

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, ícone bizantino (que se acredita ser do século 13 ou 14)

A lenda por trás deste ícone bizantino diz que é uma cópia de um original perdido, pintado pelo próprio São Lucas. A tradição conta que esta cena retrata o momento em que Jesus acordou de um sonho ruim e Maria o confortou. Durante séculos os cristãos têm se voltado para Nossa Senhora do Perpétuo Socorro para pedir a intercessão de Maria.

Nossa Senhora de Guadalupe

Esta imagem historicamente significativa e famosa de Maria nunca deixa de surpreender os espectadores, especialmente quando se olha para o original na Cidade do México. Quando milagrosamente apareceu no manto de um camponês chamado Juan Diego, em 1531. A imagem tornou-se um sinal de amor de Maria para a humanidade.

Virgem Maria, por Filippo Lippi (meados do século 15)

As escrituras dizem que Maria ponderou as palavras e ações de Jesus em seu coração. Maria, sempre em oração e calma, considerava que Deus estava em ação em sua vida e no mundo.

Amamentação de Cristo, artista desconhecido

Uma das muitas imagens históricas de Maria amamentando Jesus, esta descreve a beleza do corpo humano e a proximidade de uma mãe com seu filho na mais fundamental das interações humanas.

Virgem Maria Africana, artista desconhecido

Esta bela representação de uma Virgem Maria africana, com cores vibrantes e de forma estilizada, é uma reminiscência de um ícone na sua formalidade, e transmite o tenro protecionismo de uma mãe por seu filho.

Cabeça da Virgem (HEAD OF THE VIRGIN), de Leonardo da Vinci

Esta imagem mostra quão magistral Leonardo estava em seu ofício. O perfil da Virgem é sereno e é descrito como possuindo “beleza mágica”. É difícil não notar o amor em seus olhos.

Virgem Maria Africana, por Hennie Niemann Jnr

Pintada pelo artista sul-africano Hennie Niemann Jnr, a criatividade e o uso da cor nesta pintura revelam Maria como nunca vimos antes. Serena e bonita, ela aparece sem idade.

Virgem Maria, por Francesco Francia, cerca de 1450

Francia pintou a Virgem aqui com tal delicadeza que supostamente o povo de Veneza, quando viu a nova e viva beleza, correu imediatamente para vê-la, pensando que nunca seria possível melhorá-la.

Virgem Maria, por Jan Van Eyck (do Ghent Altarpiece, 1432)

Esta imagem é um painel de uma coleção de pinturas criadas em um altar de uma igreja. Durante a Segunda Guerra Mundial, a pintura foi roubada e recuperada posteriormente pelos Monuments Men. Van Eyck, o artista, trabalhou com um novo tipo de tinta feita de óleos e os usou para obter uma saturação da cor que é incomparável.

Coroação da Virgem, por El Greco

A luminosidade típica de El Greci brilha nesta cena de coroação. Lá embaixo, os discípulos estão reunidos olhando com espanto para a celeste Rainha – a Virgem Maria sendo coroada Rainha do Céu pelas três pessoas da Trindade.

Theotokos (Mãe de Deus) por Ann Marie Campbell

Theotokos significa “Deus-portador”, um título dado a Maria, que deu à luz o filho de Deus. A artista Ann Marie Campbell fez sua própria tinta usando gemas de ovo e pigmentos em pó de todo o mundo e adicionou 23 quilates de ouro e cristais Swarovski para este belo ícone, que segundo ela está entre os seus favoritos pessoais.

La Virgem de La Leche, de Luis de Morales

Neste retrato do artista espanhol do século 16 conhecido como “El Divino”, o menino Jesus puxa o véu de sua mãe e agarra em seu peito. A pintura nos lembra a maternidade de Maria. Como qualquer bebê, Jesus era totalmente dependente de sua mãe para sua vida e sustento.

Madonna of the Magnificat, por Sandro Boticelli (cerca de 1445)

O título da pintura de Boticelli alude ao Magnificat, uma oração de agradecimento que Maria oferece a Deus. A mãe de Deus é descrita aqui sendo coroada com estrelas brilhantes, uma alusão a um dos seus títulos tradicionais, Stella, que significa “estrela”.

Fonte: Aleteia

Faça um comentário